Uma ação policial cumpriu mandados de busca e apreensão no consultório onde um estudante de odontologia atendia pacientes irregularmente, na manhã desta terça-feira (30), em Itabuna, sul da Bahia. O alvo da operação não foi preso.

O estudante Paulo Henrico Almeida, que tem 38 anos, é investigado pelo crime de exercício ilegal da profissão em Itabuna e em Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia. Em Conquista, em maio deste ano, o Conselho Regional de Odontologia (CRO) o denunciou pela atuação irregular.

Conforme o delegado Humberto Matos, responsável pelo caso, apesar de atuar em Itabuna como dentista, Henrico Almeida ainda não concluiu o curso. Durante as buscas no consultório, foram encontrados documentos que comprovam que o homem vinha atendendo pacientes mesmo sem a diplomação.

Segundo o delegado, além do consultório, que fica na Rua Avenida Princesa Isabel, onde foram apreendidos recibos e computadores, a polícia também realizou buscas na casa de Henrico.

Ainda de acordo com Humberto Matos, o estudante também vai ser investigado pelo crime de estelionato.

“Tem várias pessoas, vítimas, que representaram contra ele. Além do exercício ilegal, ele ameaçava os pacientes que reclamam das consultas. Sem falar no crime de estelionato. Muitas vezes ele passava um valor acima do combinado nas máquinas de cartão de crédito e débito”, disse o delegado.

Vitória da Conquista

O homem foi denunciado pela primeira vez em maio de 2019, quando ele atendia em uma clínica de Vitória da Conquista.

Na época, o CRO disse que o estudante não poderia exercer a profissão, mas postava várias fotos em redes sociais, onde aparecia atuando como dentista. O conselho informou ainda que várias pessoas procuraram o órgão para denunciar o rapaz.

Em um vídeo divulgado nas redes sociais, o conselheiro do CRO, José Mário Gomes de Melo, falou que tomou conhecimento de várias irregularidades cometidas pelo estudante e que está tomando as medidas cabíveis contra o exercício ilegal da profissão.

“O Conselho Regional de Odontologia está ciente de algumas irregularidades que estão acontecendo no interior da Bahia. Estamos tomando várias medidas contra o exercício ilegal da profissão. Estamos agora adotando, em Vitória da Conquista especialmente, contra um estudante de odontologia, o acadêmico Paulo Henrico Almeida, que está exercendo ilegalmente [a profissão]. Ele não é cirurgião dentista, ele não é registrado no conselho, ele não pode exercer e não pode realizar procedimentos. Já demos entrada no Ministério Público e estamos aguardando as medidas possíveis, judiciais e cíveis, contra esse estudante que está exercendo ilegalmente a profissão”, disse José Mário.

Na época, em entrevista à TV Sudoeste, afiliada da TV Bahia em Vitória da Conquista, Henrico disse, por telefone, que não atua como dentista, e que é estudante e dono da clínica. No seu perfil em rede social, no entanto, ele se autointitula doutor e oferece serviços de implantes dentários, lentes de contato dentárias, bem como aplicação de botox e ácido na biografia da rede.

No mesmo perfil, Henrico compartilhava fotos de procedimentos sendo realizados. Depois da denúncia do CRO, ele compartilhou mensagem nas redes sociais em que diz que está sendo apedrejado porque está entre os melhores. “Toda vez que vocês falam de mim, eu fico mais rico”, diz um trecho do post.

 Ele diz ainda que gosta da fama e da ascensão e que, enquanto as pessoas denunciam, ele está comprando vários apartamentos em Miami, nos Estados Unidos.

 

Fonte: G1 Bahia

Comente via Facebook!