Circula pelas redes sociais a imagem de uma camiseta escolar com furos similares a marcas de tiros e com manchas vermelhas de sangue. Junto dela, mensagens dizem que era a roupa que a estudante Ágatha Félix, de 8 anos, morta com um tiro dentro de uma kombi no Conjunto de Favelas do Alemão, no Rio de Janeiro, usava no momento em que foi baleada. É #FAKE.

Ágata morreu na sexta-feira (20), por volta das 21h30. A imagem da camiseta foi publicada pela primeira vez (sem qualquer menção à garota) no Twitter no mesmo dia às 18h03 – ou seja, horas antes de a tragédia ocorrer.

Um outro detalhe que denota a falsidade das mensagens que circulam na web é que o uniforme é utilizado por estudantes da rede estadual de ensino do Rio de Janeiro. Na capital, não há, porém, aulas da rede estadual para alunos do ensino fundamental – que abrange a faixa etária da menina.

Além disso, a camiseta exibe vários furos. E a menina recebeu apenas um tiro, nas costas.

Tuíte da deputada Erika Kokay — Foto: Reprodução/ Twitter

O autor da imagem da camiseta é um estudante do Rio de Janeiro. Ele fez furos e manchas na peça como parte de um trabalho escolar de artes. Após a foto viralizar, ele postou no Facebook que o objetivo era “criticar a brutalidade” da polícia de uma forma geral. Mas posts com mensagens diversas acabaram provocando desinformação. “Muitas pessoas copiaram meu trabalho e usaram outro título”, escreveu.

A mensagem com o conteúdo falso foi impulsionada, inclusive, pelo perfil verificado de políticos. A deputada federal Erika Kokay (PT-DF), por exemplo, fez um post dando a entender que a camiseta era da menina.

Ela foi contatada pela equipe do Fato ou Fake e disse que usou a foto apenas como “simbolismo”, mas que decidiu apagar a postagem e fazer outra, já que ela estava gerando “incompreensão”.

Fonte: G1 – FATO OU FAKE

Comente via Facebook!