Morreu na última sexta-feira (30), o trabalhador braçal José Maria Silva Oliveira, 59 anos de idade. Casado, pai de quatro filhos, ele procurou o programa Fernando Alves Repórter, da Cultura FM, no último dia 06 de agosto, para pedir ajuda por conta de um drama que enfrentava há mais de dois meses. Ele queria descobrir  uma misteriosa doença que o acometeu repentinamente, deixando o seu corpo coberto por bolhas, que provocava coceira intensa, calafrios e até febre. Todos os exames clínicos e laboratoriais que ele fez, não conseguiu identificar o problema.

Sem poder trabalhar, ele fez um apelo que comoveu aos ouvintes do programa. O caso ganhou as redes sociais, através de matéria divulgada pelo também jornalista Bonny Silva da mesma emissora e, em seguida foi destaque em vários sites de notícias da Bahia.

Posteriormente, o médico dermatologista e ex-prefeito de Guanambi, Ariovaldo Boa Sorte, se colocou à disposição para examina-lo e logo veio o diagnóstico: as lesões eram de pênfigo bolhoso, e o tratamento não era simples por ele ser hipertenso, havia a necessidade de uma terapêutica sem uso de imunossupressores.

Na última semana, José Maria ficou bastante debilitado e na sexta ele não resistiu. O sepultamento ocorreu no sábado (31) pela manhã na Zona Rural de Morrinhos, Distrito de Guanambi.

Pênfigo

Os pênfigos são doenças relativamente raras caracterizados pela formação de bolhas na pele e, às vezes, também nas mucosas(como boca, garganta, olhos, nariz e região genital de homens e mulheres). São consideradas doenças autoimunes, desencadeadas porque o sistema imunológico produz, de forma equivocada, anticorpos contra estruturas da pele, que são responsáveis pela união entre as células (como se fosse um “cimento”).

Fonte: Farol da Cidade

Comente via Facebook!